VOLTAR
TheCoffeeBook

P de processamento

Publicado em 08 Março 18

O processamento é o método a partir do qual, uma vez terminada a colheita, você obtém os grãos de café verde prontos para exportação.

Existem três sistemas diferentes:

·      Processamento por via seca

·      Processamento por via úmida

·      Processamento semilavado

PROCESSAMENTO POR VIA SECA

Este é o método de trabalho mais antigo, usado em tempos antigos no Oriente Médio pelos árabes e ainda adotado em países como o Brasil, África Ocidental e Sudeste da Ásia (Vietnã e Laos), onde o clima bastante seco durante a época da colheita promove a secagem das cerejas.

No método seco, mais barato e menos trabalhoso, as frutas recém-colhidas são espalhadas em camadas finas e deixadas para secar ao ar livre por um período de duas a três semanas. A exposição ao sol em primeira instância, e então a ação da máquina, permite a separação do grão tanto da polpa, que agora está seca, e das duas membranas protetoras.

Desta forma, obtém-se o chamado “café natural”, que é desigual e caracterizado por uma cor verde-amarelada para o arábica e marrom-amarronzado para o robusta.

PROCESSAMENTO POR VIA ÚMIDA

Este é o processo mais generalizado nos países da América Central (México e Colômbia), na África (Quênia e Tanzânia) e na Índia. Desenvolvido pelos holandeses em 1740, é usado nos países onde o clima bastante chuvoso não permite o processamento por via seca..

Ao contrário do sistema anterior, este sistema é mais trabalhoso e exigente, e deve, no mais tardar, iniciar no dia seguinte à colheita para evitar a fermentação.

As cerejas são colhidas por uma máquina que separa o exocarpo do grão. Os grãos obtidos são então fermentados em grandes reservatórios de água durante um a dois dias, durante os quais uma substância denominada “mucilagem”, que cobre o feijão, se afasta completamente. Segue-se então a fase de lavagem e secagem no sol ou em secadores mecânicos. O café obtido, que ainda preserva a película prateada e ressecada, é finalmente armazenado em armazéns bem ventilados.

A partir deste processo, obtém-se o chamado café ”lavado” ou “suave”, particularmente valioso por ter uma aparência muito uniforme: uma cor verde-azulada para o arábica e verde-amarelada para o robusta.

B come beneficio_lancio_05
B come beneficio_lancio_06

PROCESSAMENTO SEMILAVADO

Esta é uma técnica bastante recente desenvolvida no início dos anos 1990, primeiro na Costa Rica e depois em outros países como na Colômbia e no Brasil.

Imediatamente após a colheita, as cerejas são colhidas limpas e parcialmente demuciladas por uma máquina para evitar que elas fermentem. Os grãos são secos então no sol ou nos secadores a fim eliminar até a mucilagem residual.

Os grãos de café assim obtidos são chamados de “semilavados”.

Este sistema, usando uma quantidade menor de água do que o método úmido, economiza consideravelmente um recurso tão importante nesses países.

 

 

 

 

Encontramos outros artigos que podem lhe interessar…

REVISTA
S de sabor

SAIBA MAIS
REVISTA
P de processamento

TheCoffeeBook

SAIBA MAIS
REVISTA
C de crema

SAIBA MAIS
REVISTA
B de Blend

TheCoffeeBook

SAIBA MAIS
REVISTA
C de café

TheCoffeeBook

SAIBA MAIS
REVISTA
R de robusta

TheCoffeeBook

SAIBA MAIS
REVISTA
I de intensidade

TheCoffeeBook

SAIBA MAIS
REVISTA
S de sabor

TheCoffeeBook

SAIBA MAIS
REVISTA
D de descafeinado

TheCoffeeBook

SAIBA MAIS
REVISTA
C de corpo

TheCoffeeBook

SAIBA MAIS