VOLTAR
Coffee Hacks

Ex Machina: pensamentos sobre máquinas de café

Publicado em 16 Março 17

Prensa francesa, moka, chemex, a máquina de café moderna. E assim por diante. As ferramentas que usamos para extrair a bebida requintada que chamamos de café são tão numerosas e variadas como as ocasiões para a sua apreciação.

A escolha de uma ferramenta é quase uma questão ideológica. Os “tradicionalistas” italianos, por exemplo, não abrem mão de suas amadas mokas, resistindo à popularidade crescente das modernas máquinas de café projetadas para o uso doméstico.

 

Alguns comemoram as novas cápsulas de café, vistas como o ápice do prazer individual – ideal para preparar e saborear uma xícara de café de qualidade em segundos.

 

Outros preferem o charme mais lento e ponderado da prensa francesa, ou a chemex – a icônica cafeteira de vidro desenhada por um químico alemão na primeira metade do século XX (seu projeto impressionante garantiu um lugar no MoMA de New York).

ex-machina_medium-01
ex-machina_medium-02

Também atribuímos valor sentimental a estes instrumentos fascinantes. Em Nápoles, por exemplo, as cafeteiras napolitanas locais estão frequentemente na família por décadas, passando de geração à geração. Elas extraem café e encapsulam ricas histórias familiares.

 

Pense nisso: assim como o bisturi do escultor, ou pincel do pintor, a ferramenta de café que você escolhe vai moldar a sua experiência, bem como o produto final. Usando uma prensa francesa? O segredo está no movimento lento e confiante do êmbolo. Uma moka, por outro lado, requer uma compreensão especial do tempo.

 

Um espresso feito com uma cafeteira Lavazza A Modo Mio propiciará uma forma inteiramente diferente da apreciação daquela de um café turco feito em um cezve.

 

O café está baseado na experiência – por que não tentar algo novo? Se você busca pelo prazer veloz do café espresso, aventure-se na alegria sem pressa de uma prensa francesa, talvez. Ou vice-versa.

 

Independentemente da cafeteira que você utiliza, aprecie seu café. Você merece.

Este artigo é baseado no conteúdo de “L’observatoire des saveurs”.

Encontramos outros artigos que podem lhe interessar…