• Imprimir
  • Marcar

Arábica e Robusta

Duas espécies para tantos blends

O cafeeiro pertenece à família das Rubiáceas, gênero Coffea, que abrange aproximadamente 90 espécies. As espécies mais importantes para a economia são três: Coffea Arábica, Coffea Canephora também chamada de Coffea Robusta, e Coffea Liberica. Este arbusto sempre-verde é cultivado nos países entre o trópico de Câncer e o trópico de Capricórnio. Os cafezais necessitam de muita água, especialmente na fase de plena vegetação.

Coffea Arábica, com suas numerosas variedades (Bourbon, Catui, Caturra, Catimorra, Mundonovo etc.) atualmente representa dois terços da produção de café do mundo. Este cafeeiro é bastante delicado e necessita de cuidados mais intensos que a espécie Robusta. Os grãos são de formato ovalado alongado, de cor verde/azul e têm um sulco pouco marcado e sinuoso.

O habitat ideal para a Coffea Arábica é entre 600 e 2000 metros de altitude: quando mais alto for cultivado o cafeeiro, mais melhoram as qualidades organoléticas dos grãos.         

Os maiores produtores são os países da América do Sul e Central, mas também se encontra de ótima qualidade em algumas zonas da África e da Ásia. No mercado há uma vasta gama de Arabica e as diversidades do sabor são dadas pelo país de proveniência e pelas múltiplas variedades.       

Os cafés Arábica são ricos de aroma, muito perfumados, suaves e ligeiramente acres. O teor de cafeína é inferior ao da Robusta: no café verde é aproximadamente 1,4%. 

Arábica

Robusta

Coffea Canephora (Robusta) é muito difundida na África, Ásia e Indonésia e, atualmente fornece aproximadamente um terço da produção mundial. É cultivado em altitudes entre o nível do mar e 600 metros, resistindo bastante bem a condições climáticas quentes/úmidas com picos que ultrapassam 30 °C.
O café obtido depois da torrefação é caracterizado pela encorpadura e pelo sabor achocolatado com retrogosto persistente.

 

Sugerimos